Soluções tecnológicas para o agronegócio são apresentadas durante o Agrohub, em Cornélio Procópio

Evento de imersão, criado para fomentar o desenvolvimento de soluções tecnológicas e inovadoras para o agronegócio, foi realizado no último fim de semana

Três ideias de negócios, voltadas para a comercialização de gado, pesagem de animais e análise de plantações foram premiadas durante o Agrohub Desafios do Agronegócio, realizado em Cornélio Procópio, norte do Estado, de 13 a 15 de outubro. O evento de imersão ocorreu no Parque de Exposição Artur Höffig, durante a 20º Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial da Região de Cornélio Procópio (Expocop), e foi organizado pela Sociedade Rural da região, Sebrae/PR e diversos parceiros com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de soluções tecnológicas e inovadoras para o agronegócio, com foco na competitividade e produtividade do setor.

O consultor do Sebrae/PR, Diego Shiinoki, disse que a proposta do Agrohub foi começar a formar um ecossistema de inovação na região de Cornélio Procópio. “Queremos que eventos dinâmicos como esse façam parte do calendário e da cultura da cidade”, adiantou. Segundo Shiinoki, o Agrohub contou com a participação de estudantes de ensino técnico e universitários dos cursos de Agronomia, Administração, Economia, Medicina Veterinária, Engenharia da Computação entre outras áreas, para criar projetos inovadores em 48 horas. Ao todo, oito ideias de negócios foram apresentadas ao final das atividades e três delas receberam uma premiação em dinheiro, sendo R$ 3 mil para o primeiro colocado, R$ 2 mil para o segundo e R$ 1 mil para o terceiro.

O primeiro lugar ficou com o projeto “Boi na mão”, criado por um grupo de nove estudantes das áreas de gestão, agronomia e tecnologia. Reynaldo Miguel Gonçalves Neto, um dos integrantes do grupo e estudante de Administração, explicou que a ideia do aplicativo é intermediar a compra e venda de gado online. Segundo ele, o produtor terá acesso, por meio da plataforma, a todas as informações sobre o animal, o que o desobriga de custos de deslocamento para fechar o negócio e também das taxas cobradas em leilão, que giram em torno de 4%. “Se o produtor decidir comprar pelo aplicativo, pagará apenas 0,5% sobre a transação. Se não comprar, não paga nada”, afirmou. Ele acrescentou ainda que um dos diferenciais do serviço seria a compra garantida, com a devolução do dinheiro caso haja desistência da compra. “Foi a primeira vez que participei de um evento como esse e foi incrível. Queremos incubar o projeto e desenvolver a ideia”, contou o estudante.

A segunda colocação ficou com o projeto Multis, um software capaz de analisar as plantações e, por meio de imagens multiespectrais, detectar a presença de fungos e bactérias. Uma das integrantes da equipe, a estudante de Engenharia de Software, Kássia Catarine Aires da Silva Lopes, explicou que, com a localização precisa das áreas afetadas, o produtor economizaria na aplicação de inseticidas, pois não precisaria mais espalhar o produto por toda a plantação. “Ficamos muito contentes com o resultado. Recebemos vários elogios e já temos algumas entrevistas agendadas para mostrar o funcionamento do software”, comemorou.

A proposta do Sistema de Pecuária de Mínimo Manejo, do grupo do estudante de Engenharia de Controle e Automação, Marcos Felipe Soares Rocha, ficou em terceiro lugar. Segundo ele, o projeto foi desenvolvido para facilitar a pesagem do gado em confinamento, que precisa engordar rápido e ter o peso verificado a cada 30 dias, em média. Para evitar que os animais sejam levados para a mangueira, o que demanda tempo e esforço dos funcionários, estressa o gado e prejudica a engorda e a qualidade da carne, a ideia do grupo foi criar um sistema de identificação individual de cada animal e a pesagem automática no espaço que fica entre a alimentação e a água. “Como ao lado do Agrohub estava ocorrendo um leilão, tivemos a chance de conversar com vários criadores e remodelamos a ideia diversas vezes, o que foi um ponto forte para o projeto ter sido premiado”, avaliou.

O diretor do departamento de Tecnologia da Sociedade Rural de Cornélio Procópio, João Ricardo Paiva Gatti, disse que a primeira edição do Agrohub superou as expectativas dos organizadores e participantes. Agropecuarista e veterinário, Gatti disse ter participado da banca julgadora e garantiu que todas as ideias apresentadas são muito interessantes. Ele lembrou que a cidade possui na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) uma incubadora e hotel tecnológico, além de professores capacitados para atender os alunos e os auxiliarem no desenvolvimento dos projetos. “A reitoria acaba de empenhar R$ 7 milhões para a construção do Parque Tecnológico do Paraná, numa área de 120 mil metros quadrados. Temos material humano e estrutura, podemos tornar Cornélio Procópio um centro de tecnologia e inovação para o agronegócio e diversas outras áreas”, apontou. Para o próximo ano, o Agrohub deve ser reformulado e contar com a participação mais ativa de agrônomos, técnicos e veterinários.

Além do Sebrae/PR, o Agrohub foi organizado pela Sociedade Rural da Região de Cornélio Procópio, Sindirural Cornélio Procópio, Buzz, Prefeitura de Cornélio Procópio, Associação Comercial e Empresarial de Cornélio Procópio (ACECP), Grupo For Logic, Gempe, Google Business Group (GBG) Londrina, Google Developers Group (GDG) Cornélio Procópio, CDS Informática, Codep, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). A iniciativa contou ainda com o patrocínio da Vilela, Integrada Cooperativa Agroindustrial e Sicredi e com o apoio da RedeFoot Startup Community, Resolve Soluções em Tecnologia e VisãoNet.

Informações para a imprensa:
Savannah Comunicação Corporativa - empresa licitada do Sebrae/PR
Assessoria de Imprensa - Regional Norte: Amanda de Santa - (43) 99917-7751/ (43) 98808-2598
Adriano Oltramari– Jornalista do Sebrae/PR - (41) 3330-5895

Realização

Apoio